Seja feliz também !!!

Enquanto a humanidade caminha eu corro !!!
Vamos correr !!! testar os limites e depois descansar para correr mais.
Mas a vida não é só isso ...
Deus, Família, Patriotismo, Futebol, Música ...

domingo, 13 de abril de 2014

2ª CORRIDA SÃO BENTO

Campo Grande, MS. 13 de abril de 2014.


Há muito tempo que não treino especificamente para uma corrida de 10 km. Treinei certinho. Sem faltar um dia. Isso já é uma vitória. Meus treinos de 10 km ficaram na Casa dos 45 min. Por isso, conclui que sub 44 seria uma boa meta para o grande dia. 

Na sexta-feira antes da prova, um sofá atravessou o meu caminho. Veja uma foto. Foi gelo o sábado inteiro. Pensei que não ia dar para correr com os dois pés.


Deu Certo! nenhuma dor ao acordar: o dedo não reclamava. E eu acordei as 5 para ver a Maratona de Londres. Um dia eu vou correr uma prova dessas na Europa. Haile de coelho e Kipsang demolindo o Recorde. Marilson e De Paula fazendo o melhor. Sai de casa em cima da Hora. Meio pilhado com o ritmo dos Africanos. Tanto que o meu primeiro km foi a 03:53, kkk 

Prova excelente: Organização show. Incluíndo : Divulgação, preço, kit, entrega do kit, largada, medalha, atendimento ao público, lanche, água, marcação de km e percurso ... Até a meteorologia ajudou. Excelente mesmo. Em 2014, fui em duas provas e nas duas sai muito satisfeito. O nível está subindo.


KIT CESTA BÁSICA ULTRA MEGA POWER

Como já falei, sai voando no km 1. Muitas pessoas sem noção iam bem devagar e eu acelerei para  fluir por entre as fendas e, muito próximo de uma colisão, foi possível sair do tumulto. Contudo, essas aceleradas me custaram caro. 

É necessário dedicar um post inteiro para falar da demostração de amizade do André Bandera. Pois sabendo da Minha Tentativa de sub 44, ajudou - me  no percurso inteiro. No Minimo, eu devo os 30 reais da inscrição. Levou minhas chaves, pegou água pra mim e marcou o meu ritmo o tempo todo. Posso disser que fui rebocado nos 10 km. Esporte coletivo. Bandera, Muito Obrigado pela generosidade e pelo desapego. Amigo assim é raro. Mas na Equipe somos mais de 10. Showwwww!



10 km em 44 min e 45 seg. Meu melhor tempo desde que fui aceito na Equipe CRMS Pão e Tal. Continua o Treino de para sub 44.

MANOEL 

RODRIGO

A galera treina sério e compete com humildade Os Resultados começam a aparecer.

Todos sabem que nesse ano não vai dar maratona para mim. Aproveito para acelerar nos 10 e nos 21. O Importante é se manter correndo. Espero nunca falar a frase: eu estou voltando. Quero, com a ajuda de Deus e da família, perseverar nos treinos até o fim e nunca me machucar.

Agora entro no período de descanso: terça-tiro, quinta-ritmo, sábado-longão e domingo-relaxar. Sem Objetivo de Competição.

O dedo doeu muito depois da prova e doe até mesmo enquanto escrevo esse texto.

O sub 44 será em breve. Não sei quando, mas o parto será normal.





até breve




.



terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Primeira Meia Maratona de 2014

Campo Grande - MS, 25 de fevereiro de 2014


Nunca havia corrido uma meia maratona no barro e cascalho. Parece uma desculpa para mau desempenho, mas foi um dos melhores tempos em provas de 21 km. 

Sou declaradamente um torcedor da ACORP . Acredito que o sucesso deles é o sucesso do esporte. E os caras estão se superando a cada ano. Prova espetacular, quase perfeita. Desde 2013, foram enviados emails aos corredores da região perguntando, pedindo sugestões. Essa preocupação com os corredores já é digna de elogios : a humildade deles cativa.

Prova disso foi receber água , natural ou gelada, das mãos de um medalista olímpico. O Yeltsin estava na chuva distribuindo água para os pangarés (eu) . 

Dario e Gabi correram muito !!!!
A Fera e a Bela - piada inevitável, kkk

Fechando com nota 9,0. 
Faltou a marcação de km e um staff no ultimo desvio. Nesse ponto, vi alguns corredores errarem o caminho, apesar de haver uma seta pintada. E um pequeno atraso na largada . E a única gravidade foi não ter exatamente 21 km. Por coisa pouca.

Gostei :
excelente organização na entrega do número e no dia da prova. Show  !!!
inscrição 30 reais.
percurso desafiador
época do ano
ser de 21 km
excelente atendimento no Esquadrão da Vida

Conclusão : ano que vem eu to dentro dinovo !!! na minha humilde opinião, a melhor corrida da capital. 


Minha participação foi assim :

Treine para essa prova. Fiz tudo certinho. Mas ao estudar o clima e o percurso, desanimei de buscar o sub 1h 40 min. Decidi fazer o melhor e zoar na prova.

Larguei rápido, mas a falta de um gps e de marcação de km, fez-me ficar um pouco perdido quanto ao ritmo, já que o terreno subia e descia muitas vezes. Então decidi segurar um pouco nas subidas. Acredito que passei os 10 km com 49min. O barro pesava no tenis. A chuva fina ia e vinha. O Sacadura me passava e eu lembrava de quantas vezes rastejei na lama e agora ela estava apenas nos tornozelos, kkk. Do nada, a vontade alucinada de urinar me obrigou a parar por uns segundos. Não perdi nenhuma posição. Contudo, ao retornar, aquela dor de pangaré abaixo das costelas veio com força total. Achei estranho, havia séculos que não sentia isso. Quem explica  ? o ritmo caiu por uns acho que 3 km. Ia inevitavelmente cantava mentalmente coros militares de vibração e embuste. Até que o Milani me alcançou e fomos conversando poucas palavras ... ih, do nada, a dor sumiu. Então o ritmo aumentou dinovo. Dessa vez, dessa vez graças ao meu amigo Milani, que foi comigo até o seu sprint final. Terminei com 1hora 45 min e 12 seg.  Para mim, foi recorde pessoal. Espero esse ano baixar de 1 hora e 40 min. To correndo atrás

Milani e eu ainda com dor


Não poderia deixar de registrar que ultrapassei logo na largada um fanfarão com uma camisa imunda do framengo. Certeza q ele colocou só para correr na lama. kkk
SUBIDAS INSANAS
Dia 08 de março, se Deus permitir, farei o trecho Aeroporto - Terenos. Quem quiser acompanhar, entre em contato. É grátis , kkk e em homenagem a minha sogra. Bora !!!

Próximo desafio :  corrida da ponte - Rio de Janeiro . 18 de maio.





.



terça-feira, 31 de dezembro de 2013

31 de Dezembro / 27 km / COM OS AMIGOS

Campo Grande, MS - 31 de dezembro de 2013.

Muita coisa acontece em 27 km. 


estava escuro - assim que se faz

Sai de casa dirigindo as 5: 30  - indo para o casa do Juscelino, presenciei um quase acidente, com motorista bêbado, infelizmente isso é comum ainda.

Marcamos em um horário acessível a todos da equipe. Largada as 6:30.
André, Juscelino, Isidoro, Corazza, Brandão, Sacadura e eu


O chamado treino do André recebeu esse nome porque foi o pagamento de uma promessa. Então corremos os 27 km, um para cada ano de vida de nosso amigo. Fomos ajudando, agente gosta de ajudar, kkk, Até então ele nunca tinha rompido os 21 km. Correu muito o menino. pace de 5:30 até o final.


descobrindo uma nova via de escalada


O treino começou e o Juscelino partiu com o Sacadura em um ritmo alucinado. Foram visto por pouco tempo. Elite é Elite. Pangarés e Elite não se misturam nos treinos.

Os demais, que são humildes, conversaram, fizeram terapia, trocaram idéias sobre os mais variados assuntos. Preferimos cumprir esse treino do que assistir à São Silvestre. Por falar em SS, o nosso amigo Andrézão foi lembrado. Correu muito na SS enquanto nós corríamos no mesmo horário na cidade morena.

vejam umas fotos :







Foi muito bom notar como o Corazza sabe o endereço de cada torneira disponível na região. 



E olha o segredo do Corazza, em primeira mão, aqui no blog :


só eu sei, kkk

sem explicação ...
os Humildes - reparem no Brandão mais alto : que tenis é esse ???

27 km é complicado. Mas a nossa média de idade é quase 40. Respeitem os mais velhos. Fechamos antes de 2:30.


No pós prova, reunimos os corredores mais a família Milani no posto do parque dos poderes. Estávamos confraternizando. Mas o dona do posto nos expulsou aos gritos, alegando que não consumimos os produtos do posto. Ficamos sem entender porque ela quis perder para sempre 10 consumidores no mínimo. Devolvemos alguns gritos e dez garrafas com água compradas nesse posto. NUNCA MAIS EU VOLTO LÁ !!!

Mudamos de assunto e fomos confraternizar do lado de fora.



O Calendário da equipe ficou muito bom. A palavra certa é excelência.  Recebemos hoje. Parabéns Milani e família.





Feliz 2014 e muitos km para nós !!!

olhem esse video : comédia :





Muita coisa acontece depois de 27 km. Boa recuperação André e respeita os mais velhos, kkkk





.











domingo, 22 de dezembro de 2013

CORREDOR é aquele que CORRE

MS, 22 de dezembro de 2013.

Lá pelo vigésimo kilômetro da corrida longa de sábado, comecei a rir sozinho das recordações de 2013.

Fiz uma prova de 25 km - ACORP , uma de 42km - MARATONA DO RIO, uma de 10 km - CORRIDA DO BEM e uma de 21 km - VOLTA DAS NAÇÕES.

corrida do bem

Quem acha pouco ? 

Não fiz mais provas. Umas não fiz por causa do trabalho, outras por falta de verba, mas a maioria não fiz porque estava treinando e não encaixava no planejamento. Por exemplo, 10 km do circuito caixa : corri da minha casa até o local da prova, fiz seu trajeto e voltei realizando o longão, treinava para a Maratona do Rio.

Acorp - 25 km - A MELHOR DO ANO 


Foi o ano que mais corri. Olhando minhas anotações, reparei que em todo ano fiquei parado apenas na recuperação de uma cirurgia. Mantive sempre, pelo menos, 03 treinos na semana e um no final de semana. Apesar das viagens e do clima. Corri com 3° C e com 40 °C, seco e molhado, com vontade e por obrigação, na madrugada, na manhã , a tarde e a noite. Eu fui. Eu fui sozinho e acompanhado, com mochila e sem mochila : eu iria tudo dinovo.

A MAIS SOFRIDA


Não fiz muitas provas, mas foi a ano que mais corri. Sou o pesadelo do mercado das corridas. Só participo de provas alvo dentro de um planejamento para aferir resultado, apesar de ser pangaré. Os pangarés iniciantes são estimulados a comprarem todas as corridas. Rapaz !!! a rua é pública. Vá e corra !!! Frequentar provas é muito bom, mas o essencial é o treino. Não é possível treinar para 4 provas no mesmo mês. Se não for assim, vira micareta. Dica : os treinos com os amigos são muito melhores e muito mais divertidos que as competições com os desconhecidos.
 
DETONANDO O ARGENTINO

O grande lance é a disciplina. No projeto que realizo de me preparar para correr com os meus netos, as metas são a longo prazo e exigem fidelidade. É triste ver o pai que não aguenta pedalar com o filho de 5 anos por mais de 30 minutos.Quero ser a vô que joga bola, corre e pedala. Lembrando que para ser Pai precisamos ser Exemplo, dedicar tempo e Amar. Em 2014 quero fazer umas 5 provas bem treinado no máximo. 

"Quem não sabe aonde quer chegar já está perdido." planeje e vá na frente.

















quinta-feira, 21 de novembro de 2013

POR QUE QUE A GENTE É ASSIM???


O Parto de uma maratonista
Por Christiane Novaes de Souza


Depois de 2 gestações, 3 meias maratonas e outras tantas provas de 10 e 5 km, era chegada a hora de ir além. Precisava de uma vez por todas sair da minha zona de conforto, e isso pra mim significava não diminuir tempos, nem fazer provas com paces pseudo-quenianos, significava ir literalmente MAIS LONGE, de preferência 42km mais longe. Essa vontade toda de superação, com 2 filhos pequenos, trabalho, marido, vida social. Que sandice!!! POR QUE QUE A GENTE É ASSIM?
E a escolha foi a maratona Caixa de Curitiba. Por 3 razões: precisava ser no final do segundo semestre, para ter tempo suficiente para treinar; iria aproveitar para visitar e reencontrar uma das minhas melhores amigas, a Fabi, que na época morava lá; e por último porque, segundo S. Nilu, nosso ninja pantaneiro, o clima durante a prova era ótimo, o percurso maravilhoso, enfim, uma prova “tudibaum”. Martelo batido: CURITIBA AI VOU EU!
Só depois é que fiquei sabendo que o percurso é uma verdadeira pirambeira. Praticamente um suicídio para a primeira maratona. Mas não iria voltar atrás, e por mais louco que possa parecer, aquilo só aumentava minha vontade de ir para Curitiba e PAH! Conquistar os primeiros 42k. Ah, sempre gostei de uma ladeira mesmo?! POR QUE QUE A GENTE É ASSIM?
Nesse meio tempo, a Fabi se mudou, uma (nada benvinda) canelite se instalou!! Era vida que seguia.
Quando cogitei em mudar de cidade para correr, minha amiga foi categórica: "E daí que não estou mais lá? Você vai pra Curitiba sim, e dar o seu sangue, e fazer um tempaço, e trazer essa medalha pra eu ver depois" Zuzo bem!!!
A canelite foi embora, com muito gelo, fisioterapia e oração. Confesso que depois de 30 sessões, meu médico não me deu alta, ELE ME EXPULSOU DA CLÍNICA, porque eu insistia em dizer "Ainda tem uma dorzinha". E ele perdeu a paciência: "Você não tem mais nada, chega de fisioterapia. Se sentir dor novamente, volte" Pura insegurança minha. POR QUE QUE A GENTE É ASSIM?
Tenho a sorte de fazer parte de um grupo de corrida pra lá de especial, o Grupo Runner’s, capitaneado por um treinador que é incentivo puro, que sempre acreditou em mim, mesmo quando nem eu mais acreditava e que durante toda a preparação me dizia, quase como em forma de mantra “Chris, você é forte. Fica tranquila, vai tirar de letra”. Diego Souza, não me canso de dizer, VOCÊ É O CARA!!
Enfim o último longo, os temidos 34km, que por uma ironia do destino, caiu no feriado de finados, quando nosso grupo de corrida estava curtindo um descanso, e tudo que tinha era companhia das amigas pra correr os 12k iniciais. Me bateu um desespero inicial, porque sem água e sem os professores me acompanhando, eu não sou nada. Teria companhia no começo, mas e depois? Decidi então que seria um treino pra testar os limites psicológicos, treino pra mente, correr sozinha, sem muito apoio. Era a hora de transformar o menino em homem. POR QUE QUE A GENTE É ASSIM?

Dia da prova. Acordei bem disposta. Rezei muito, mentalizei minha chegada (na frente da Queniana, logico), e fui. Encontrei nosso ninja e meu incentivador mor, S. Nilu, que iria correr os 10km e ficar na torcida por mim. Em meio aquela multidão na largada, encontrei com duas corredoras de Campo Grande, de outro grupo de corrida, a Lu e a Marcinha, ultramaratonistas que me passaram muita tranquilidade já no início. Largamos, fiquei um pouco pra trás, mas logo encontrei a Lu, que, do seu jeito, me deu o caminho das pedras:
LU: Qual o pace? // EU: 5:40 - 5:50 // LU: Melhor diminuir // EU: Será? // LU: Tem muito chão pela frente, e as subidas nem começaram ainda. // EU (contrariada): Ok. vou te acompanhar.
E seguimos, num pace de 6 a 6:30h. Juntas. No km 18 comecei a sentir dor no pé esquerdo. No km 21, foi a vez da tendinite do pé direito lembrar que existia. E me veio o pensamento: “Se to assim na metade da prova, danou-se” Era hora de desligar o fone de ouvido e puxar assunto com a Lu (que eu  mal conhecia). Loucura?? Q nada. Durante os treinos, eu e minhas parceiras desenvolvemos a arte de correr e conversar (às vezes com elas, às vezes com Deus). Isso faz uma diferença. Quando percebi, já estávamos no km 40, e a Lu foi embora. Como um anjo que cumpriu seu papel de te guiar, sabe?! Sem saber, ela me carregou.
Durante a preparação, treinei muita subida, em especial no final dos longos, procurando dar o máximo, chegar no meu limite. Mas nada, definitivamente, nada, se compara à realidade de Curitiba. Pirambeira. Crueldade em forma de competição. Ladeira no km 40???? Ribanceira no km 41?? Tá de brincadeira!! Que que é isso? Isso sim é o chamado “chutar cachorro morto”. Quando suas pernas, já desgovernadas não respondem a estímulo nenhum, você precisa por em ação os últimos glóbulos brancos, vermelhos e furta-cor que te restam, porque o sangue propriamente dito, já foi derramado há 3 ladeiras atrás, parceiro.
Quando, na última reta pude ver a linha de chegada, com aquele bando de gente gritando e te empurrando um tiquinho mais, a vontade de chorar era tudo que me restava. As dores foram esquecidas, a tendinite no pé direito nem era mais sentida. Só lembrava dos meus filhos, e no exemplo de garra, determinação e perseverança que ia deixar pra eles. Lembrei da força que recebi de todos os amigos, corredores e não corredores; as palavras de incentivo do meu treinador (“Chris, você é forte”); as manhãs de sábado que deixei de ficar com meus gurizinhos, para cumprir a escala de treino; as noites de sexta-feira que deixei de aproveitar com o marido, para poder dormir cedo. Tudo. Absolutamente tudo.
A Queniana não estava atrás de mim, mas ainda assim era o momento da minha consagração pessoal, da coroação de todo o esforço, do nascimento de uma maratonista. Emoção pura. Reencontrei a Lu, me esperando na linha de chegada, e não conseguia falar direito, e mesmo chorando muito, consegui agradecer: “SEM VC NÃO TERIA CONSEGUIDO, LU. VALEU!”
Dizem que a corrida, ao contrário do futebol, é um esporte individualista. Quem disse isso, é porque nunca correu, e não sabe que a união de tanta gente é que faz dar uma passada, e outra, e mais outra... Mas acima de tudo isso, tenho certeza que sem a presença de Deus e da minha família, JAMAIS teria conseguido me preparar e realizar esse sonho.
Terminei minha primeira marata em 4h26m. Durante todo o domingo caminhava como num pós parto, com dificuldade para sentar, e levantar então nem se fale, mas quer saber? To querendo voltar ano que vem, e fazer tudo de novo. Eu e as ladeiras de Curitiba ainda temos contas a acertar. POR QUE QUE A GENTE É ASSIM??? 









texto na integra:

ouça todos,

siga os bons exemplos !!!






.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Treino em Presidente Prudente - SP

Presidente Prudente, SP. 18 de novembro de 2013


Nesse feriadão, recebemos um presentão de uma família amiga. Fomos convidados para acompanha-los no Resort Campo Belo, que fica em Presidente Prudente - SP. Aceitamos o desafio e fomos para o "sacrifício" a família e eu. 

Com certeza um espaço na mala para as tralhas de corrida automaticamente é alocado.



Tentei fazer contato com alguns corredores da região, mas não consegui. 



Contudo, descobri um percurso de terra muito bom, com muitas subidas e muito visual bonito. Parecido com os treinos perto do Detran - Rochedo, só que subindo e descendo.


Poderia ter dormido até tarde. Feito o que a maioria faz. E teria perdido toda essa beleza. Corri por 10 km. Voltei e fui para a piscina com as crianças, isso que é treino. 


Sai as 6 da manhã e voltei as 7. Usei o aplicativo Nike + para marcar tempo e distância. Gostei. Mas faria umas modificações.
( assunto para outro post).


Olha eu sem pular a cerca. Sem pular a cerca eu disse.



Subidão sinistro. 

Viajo muito a serviço. Isso faz com que o interesse por viajar para competir diminua, pois tira o pouco tempo da família em casa.


 Sempre que me hospedo em uma cidade faço um treino. Nesse treino ; fui atacado por kero-kero selvagem ; comi poeira de caminhão, vi muito gado, e matei muito urubu. rsrsrsr

O tempo para escrever no blog tem sido pouco. Embora o prazer aumente com o tempo. 


Objetivo agora é fazer a meia sub 1:40. Já comecei os treinos.
Em 2014, por motivos de trabalho, não devo correr uma maratona. Logo, vou tentar baixar o que der na meia e nos dez km.


um abração e até breve.




.



domingo, 13 de outubro de 2013

4° aniversário do Blog - Volta das Nações 2013 - 21 km.

Campo Grande, MS. 13 de outubro de 2013.

Longe vai o tempo em que correr 21 km era um desafio. Muito mais antiga é a certeza de que, sem preparo, até 5 km é sofrido, muito sofrido.



Passei por um período de recuperação caseira de uma dor no joelho direito. Faz uma semana que voltei a correr, sempre menos de 30 min. Por isso, decidi fazer os 10 km. Mas na hora H, a fome bateu e fui para o combate sangrento, daqueles com facas e canivetes. Sabia o que ia acontecer.

A Equipe Corrida de Rua MS, decidiu marcar o ritmo de 1h e 45 min e eu tentei acompanhar até onde foi possível. Fui com eles até o Km 13, eu acho.

Senti cãmbrias durante uma prova longa pela segunda vez na minha vida. Agora, fiquei preocupado. Na primeira, acreditei ter sido uma fatalidade. Vou estudar.

Essa dor faz o ser humano parar instantaneamente. Alonga e corre e a dor volta. Dois aliens, um em cada quatriceps, se revolviam e eletrificavam minhas pernas mal treinadas. Muita gente me passou. Não dei um passo. Corri os 21 km. 1 h e 56 min. Ainda bem que tudo isso aconteceu do km 17 pra frente. Ate´ali eu pensava  : como estou bem, parece até que treinei. É só manter, é só manter, é só manter ( costumo repetir " é só manter" umas mil vezes por km).

Fiquei impressionado com a força do Rodrigo e do Sacadura. Foram se controlando para não ir muito rápido. Ajudaram-me muito. Pessoas que não pensam só em si, deixando sempre uma boa parte para ajudar os amigos pangarés. Bem como o casal fantástico Frank e Thaís, que invariavelmente aparecem no percurso para me animar. E ainda bem que o João Osvaldo correu os 10km, senão eu perderia para o sexagenário, kkkk , agradeço a todos os amigos que deram gritos com incentivos, foram uns 5 amigos. Gostei muito e espero retribuir em breve quando tiver forças, kkkk


A corrida nos ensina, dentre outras coisas, que a base é a dedicação. Pode-se estar bem intencionado. Não importa. O resultado é de quem o mereceu no treino, nos estudos, na obediência, na disciplina.

Gostei do tempo espremido, do encontro com os amigos e da dor ausente no joelho.

Elogio a organização da prova. NADA a reclamar dessa vez. 

4° ano de blog. É bom perseverar. O tempo agrega valor a quase tudo. Os amigos revelados por essa ferramenta, são valiosos. 

Vou descansar, fazer a ressonância amanhã, e esperar o melhor.

Essa meia maratona é dedicada a minha irmã caçula Vanesa. Somos farinha do mesmo saco. Aniversariante de hoje, dia 13. Te Amo, menina. 




aguardem os post sobre joelho e cãimbras, kkkk




ate´...


.